A+ A-

Kit para dados abertos Implementando uma política de dados abertos

Execução do Plano de Dados Abertos

Diagrama do processo de execução de um PDA

A execução do PDA na organização se divide nos seguintes passos:

Reunir representantes das áreas de negócio

Considerando que num primeiro momento o gestor identificou os representantes das áreas estratégicas, essa atividade consiste basicamente em acertar as agendas desses representantes para as reuniões periódicas de monitoramento, necessárias para acompanhar se as metas do plano estão sendo cumpridas.

Definir Papéis e responsabilidades

Esse é o momento onde cada área se compromete com uma parte do trabalho:

Iniciar processos de abertura de base de dados

Após as definições passadas, chega a hora de abrir as bases de dados. Aqui são iniciados os processos de abertura de dados, que podem ser desenvolvidos em série ou paralelamente. Em geral o gargalo dessa atividade é a área de TI da organização, que dificilmente dispõe técnicos para realizar tudo ao mesmo tempo. Nesse caso, sugere-se que seja formada uma equipe da área de TI para se tornar responsável pela implementação de todas instâncias dos processos de abertura de dados da organização. Dessa forma, busca-se mais eficiência por uma mesma equipe se familiarizar com o processo.

Monitorar a execução de cada processo

Esse é um processo de monitoramento e controle comum. O gestor deve agendar reuniões periódicas para essa atividade e, durante as reuniões, acompanhar as metas estabelecidas no PDA e verificar suas entregas. É uma boa prática manter as informações de andamento da execução do PDA publicizadas no sítio da instituição no própio local o onde o PDA está publicado.

Além disso, no caso de órgão ou entidade do poder executivo federal, tenha em mente o fato de que a execução do PDA também é monitorada pelo Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União por meio do Painel Monitoramento de Dados Abertos.